domingo, fevereiro 17, 2008

Vinho dos Mortos

E agora um pouco de história do vinho, o Vinho dos Mortos vai ter um museu. Mas afinal que vinho é este?

"O nome do vinho pode parecer um pouco macabro mas deriva de um facto histórico ligado às invasões francesas. Quando em 1807 as tropas francesas, comandadas pelo general Soult, invadiram pela segunda vez Portugal, o povo, com medo que estes lhes pilhassem as suas colheitas e outros bens, escondeu o que conseguiu.

Segundo a fonte da autarquia, o vinho foi enterrado no chão das adegas, no saibro, debaixo das pipas e dos lagares. Mais tarde, depois dos franceses terem sido expulsos, os habitantes recuperaram as suas casas e os bens que restaram e, ao desenterrarem o vinho, até o julgaram estragado.

Porém, descobriram que estava muito mais «saboroso» e que «tinha adquirido propriedades novas». «É uma vinho com uma graduação de 10 a 11 graus, palhete, apaladado, e com algum gás natural, resultante da fermentação no escuro e a uma temperatura constante», explicou à Agência Lusa o produtor Armindo Sousa Pereira.

Por ter sido «enterrado», ficou a designar-se por "Vinho dos Mortos" e passou a utilizar-se esta técnica, descoberta ocasionalmente, para melhor o conservar e optimizar a sua qualidade.

As cerca de mil garrafas que Armindo Sousa Pereira produz anualmente são enterradas em finais de Abril ou Março, no chão de saibro da sua própria adega e «até não precisa de ser a grande profundidade». «O importante é que as garrafas fiquem enterradas», sublinhou.

Entre Julho e Agosto, as garrafas são desenterradas e o néctar fica pronto para beber. O
produtor diz que são muitos os turistas e apreciadores que se deslocam a Boticas de propósito para comprar uma garrafas deste vinho histórico." Fonte: Lusa

3 comentários:

Mestre disse...

Mais uma tradição à conta dos franceses do Imperador que queria dominar a Europa.

Só não nos deixaram cá saudade.

A foto está fantástica, estiveste mesmo lá?

Pratas disse...

A foto não é minha Mestre. As minha fotos vêm sempre com o "carimbo" do Blog, e não é o caso desta.

PS: Foi bom encontrar-te a ti e à Rita na ViniPortugal :)

Dias disse...

Somos um país riquissimo!
Obrigadão por mais um pedaço de fandom.

Abraço